0

O que esperar de um Minimum Viable Product (MVP)?

Você já ouviu falar em Minimum Viable Product ou MVP? Saiba que é uma forma inteligente de validar o desenvolvimento de um novo produto.

André Alencar

em 03/02/2021

Você já ouviu falar em Minimum Viable Product ou MVP? Saiba que é uma forma inteligente de validar o desenvolvimento de um novo produto.

De fato, consiste em um meio para que a equipe de desenvolvimento possa obter informações dos clientes sobre o MVP.

Essas informações constituem um aprendizado sobre a experiência do cliente que deve ser aproveitada pela equipe para melhorar o MVP.

Conheça nesse artigo mais detalhes sobre o Minimum Viable Product (MVP) e como é possível colocá-lo em prática no dia a dia da sua empresa.

O que é um Minimum Viable Product (MVP)?

O Minimum Viable Product (MVP) faz parte da metodologia Lean Startup, ou Startup Enxuta, desenvolvida por Eric Ries.

A ideia de um MVP é produzir um produto com recursos suficientes para ser testado e validado pelos clientes.

Ou seja, o produto ainda está em fase de desenvolvimento e será testado por meio de MVP.

Desse modo, é possível obter um feedback dos clientes ou usuários para aprimorar as suas funcionalidades.

Por exemplo, em se tratando de softwares a utilização de um MVP é extremamente útil.

Pois permite que a equipe de desenvolvedores obtenha um aprendizado valioso sobre o produto a partir da validação dos usuários.

É preciso esclarecer que um MVP não pode ser confundido com um produto mal feito ou então um software cheio de falhas, que não funciona direito.

De fato, a ideia é entregar uma versão do produto final que já resolva o problema que gerou a sua criação.

Conheça as características e vantagens de um MPV

Para entender as características de um MPV, vamos começar entendendo cada um dos componentes que compõem a sigla. Dessa forma, temos:

  • Minimum: indica a ideia do menor tamanho ou tempo possível;
  • Viable: que agregue valor para agradar ao público, gerando interesse na receita;
  • Product: destaca a utilidade e coesão entregue ao mercado.

Então, partindo dessas definições vemos que as principais características obrigatórias de um MPV são:

  • Tem origem no planejamento estratégico com ações objetivas para defini-lo;
  • É econômico do ponto de vista financeiro, de desenvolvimento e de tempo;
  • Precisa ter qualidade mínima para chamar atenção do público;
  • Oferece benefícios que indicam a utilização de modo a fidelizar os clientes;
  • É aperfeiçoado a partir de um processo de feedback dos clientes.

Como desenvolver um MVP depende de decisões estratégicas, vale a pena destacar as principais vantagens para apostar nessa metodologia, que são:

  • Validação de hipóteses: permite conhecer a reação do mercado para o seu produto;
  • Serve como um sinalizador de quanto o mercado está interessado no seu produto;
  • Permite obter uma redução de custos para chegar à solução que o mercado deseja;
  • Aumenta o entendimento da empresa sobre o mercado e seu público-alvo;
  • Facilita para a identificação de falhas e correção de problemas;
  • Garante maior chance de sucesso após o lançamento do produto.

Aprenda sobre os tipos de MVP

O Minimum Viable Product (MVP) pode ser classificado de acordo com uma alta ou baixa fidelidade, sendo que esse aspecto interfere no formato do MVP.

Uma vez que o nível de exigência tem de estar em conformidade com a classificação de fidelidade.

Veja quatro tipos de MVP que vamos apresentar a seguir:

Fumaça

Nesse tipo de MVP, o intuito é mapear o interesse dos potenciais clientes. Por isso, a prioridade é uma rápida divulgação da ideia através de uma landing page e um vídeo explicativo do seu funcionamento.

Com isso é possível quantificar o interesse do público alvo a partir da taxa de conversão da página. Ao mesmo tempo em que são captadas informações para conhecer o público.

Protótipo

Já nesse tipo de MVP, ocorre o desenvolvimento de um modelo funcional do produto para testar junto aos usuários, que pode ser uma maquete interativa. De fato, é uma das melhores formas de testar e validar um MVP, apesar de ser um alto investimento.

Concierge

Esse tipo de MVP prioriza atender às necessidades dos clientes de modo personalizado e de maneira mais próxima. Por isso é um tipo não escalável que é muito válido para que o produto tenha sucesso posteriormente.
Além disso, esse tipo não requer alguns investimentos para realizar a validação da solução que está sendo desenvolvida.

Mágico de OZ

Nesse tipo de MPV, ainda existe a necessidade de realizar algumas correções para a ideia funcionar completamente. Por exemplo, no caso de um aplicativo é necessário que a interface esteja pronta e funcionando para o usuário.
Mesmo ainda não estando com as automações prontas, já é possível obter informações sobre o aplicativo com a operação feita manualmente pelo usuário.
Um exemplo dessa situação é da Easy Taxi, uma vez que os usuários realizavam as solicitações pelo aplicativo e para concluir o processo eram realizadas as ligações na central para os taxistas atenderem os pedidos.

Duplo

Para esse tipo de MVP, é importante utilizar o teste A/B com dois formatos para verificar a performance e a experiência dos usuários.
É preciso destacar que esse tipo tende a ser mais caro devido ao fato de ser duplo.
 

Conheça um modelo de MVP mais de perto

Um modelo de MVP é formado por quatro fases, que são:

  • Proposta de valor: benefícios oferecidos aos clientes;
  • Segmento de clientes: público que dará o feedback sobre o MVP;
  • Canal: como cliente receberá o MVP;
  • Relacionamento com o cliente: contato a ser mantido com a empresa.

Veja agora um passo a passo para montar um MVP:

1º - Formar uma equipe de profissionais capazes de criar uma visão geral do produto a ser oferecido ao público-alvo. Desse modo, é preciso que tenham os conhecimentos técnicos para estabelecer a viabilidade financeira e avaliar a experiência do usuário;

2º - Mapear a dor do cliente que o MVP deve atender oferecendo uma solução completa e satisfatória;

3º - Definir quais as características que o MVP deve possuir e informar o que ele faz e quais são as suas funcionalidades;

4º - Aprimorar a ideia do MVP priorizando os seus aspectos essenciais e descartando o que pode ser eliminado;

5º - É importante colocar o MVP para ser testado para dar prosseguimento ao processo de validação;

6º - Tenha metas definidas tanto para produção do MVP quanto para a sua divulgação;

7º - Mantenha a perspectiva de estar sempre melhorando o seu MVP, mesmo depois de validado pelo mercado.
Portanto, para utilizar um MVP para testar e validar o desenvolvimento de um novo produto é preciso definir o tipo a ser implementado e os resultados que se deseja obter.

No entanto, não resta dúvida de que constitui uma grande vantagem para os desenvolvedores web.
  

Veja também

5 benefícios de contratar um freelancer de programação
Um freelancer de programação nada mais é do que um profissional qualificado que está disponível para aceitar diversos projetos e pode desenvolvê-los do jeito que você, cliente, está precisando.
Como cadastrar um Projeto na Codefreela? Vem tirar a sua ideia do papel!
Quer saber como cadastrar um projeto na Codefreela? Então esse conteúdo é pra você! Separamos algumas dicas e prints de tela, para ajudar você a fazer a melhor descrição para o seu projeto e garantir que nenhuma informação importante seja esquecida. Acompanhe:
Como manter o crescimento saudável da sua Startup?
Manter uma Startup é um desafio e tanto. O crescimento deste modelo de negócio é rápido e palpável.
Conheça 5 cursos totalmente gratuitos e online na área de TI
De um tempo para cá, à medida que a tecnologia avança, essa palavra — ou seria uma sigla? — vem se popularizando, quem nunca ouviu falar em TI?
Criar um app - Entenda quais são os passos para criação de um aplicativo de sucesso
Criar um aplicativo do zero é sempre um desafio e por esse motivo necessita de um planejamento bem executado para chegar ao sucesso que você objetiva. Os aplicativos estão cada vez mais presentes no dia-a-dia dos usuários e há espaço para todos os desenvolvedores de app no mercado de trabalho.